quinta-feira, 15 de março de 2018

Pesquisa mostra mais de 300 recursos minerais no CE

Se você vir os mapas geológicos, é possível que os olhos saltem com o colorido. O desafio é interpretar as informações contidas ali. Os dados, no entanto, têm o objetivo de simplificar o caminho dos investidores. Mostrando onde há e quais são os recursos minerais disponíveis em determinada região. É por meio deles que pesquisa da Companhia de Pesquisas de Recursos Minerais (CPRM) com Departamento de Geologia da Universidade Federal do Ceará (UFC) aponta mais de 300 tipos de minérios encontrados em nove municípios cearenses.
 
Descoberta importante pois, além de representar avanço significativo no âmbito da geociência, impulsiona novos investimentos do setor no Ceará. Os relatórios dos projetos de cartografia geológica foram apresentados no auditório de Departamento de Geologia da Universidade Federal do Ceará (UFC) – Campus do Pici, na tarde desta quarta-feira, 14.  
 
As cidades mapeadas foram Banabuiú, Baturité, Bonhu, Crateús, Ipueiras, Itapiúna, Parambu, Quixadá e Senador Pompeu. O diretor de Geologia e Recursos Minerais da CPRM, José Leonardo Andriottti, destacou que os recursos minerais encontrados desenham novas perspectivas econômicas na região. 
 
“São várias ocorrências de vários bens como o caulin – usado para a fábrica de papéis nobres, calcários, rochas ornamentais, ferro, ouro, materiais de construção civil que é a areia, brita”, enumerou. “A gente localizou, descobriu algumas e caracterizou. Agora, esperamos que a iniciativa privada vá para esses locais fazer a exploração”, disse.
 
Para o chefe do Departamento de Geologia da UFC, professor César Ulisses Veríssimo, o estudo “mostra uma série de informações detalhadas que são muito importantes”. “Isso permite que a gente tenha uma localização precisa dos recursos minerais potenciais e ajuda também a conhecer as características físicas e geográficas das regiões”, explicou. 
 
Alto potencial 
(Foto: Reprodução CPRM)
 
As áreas mapeadas são propícias para a exploração de materiais não-metálicos, como mármore encontrado em Baturité. Além de areia, argila e rocha ornamental, setor em que o Ceará é um dos maiores produtores do Nordeste, há muitas ocorrências de grafita, recurso usado para fabricação de material grafeno, em Quixadá, Itapiúna e Senador Pompeu.

Outros recursos minerais são as gemas (água marinha, turmalina e ametista) encontradas em pegmatitos, além de minerais de muscovita, berilo e columbita-tantalita (possuidores de Tântalo e Nióbio - Terras Raras), encontrados principalmente em Itapiúna. Entre os materiais metálicos destacam-se as ocorrências de manganês em Baturité, Itapiúna, Quixadá e Bonhu, e de cobre, no Parambu. 

1- Estudo iniciou ainda em 2007 e foi concluído este ano
2- Geólogos ficaram cerca de 40 dias em cada cidade  
3- Área mapeada abrange cerca de 27.000 km2 (20% de todo o território do Ceará em escala de 1:100.000)
4 - A CPRM é uma empresa pública vinculada ao Ministério de Minas e Energia. Sete cidades mapeadas foram conveniadas com o Departamento de Geologia da UFC. 

- Da Redação O POVO Online  

Nenhum comentário:

Postar um comentário