LightBlog

Doutora em física, primeira professora negra do ITA denuncia preconceito de alunos e colegas: 'Me odeiam'


Sônia Guimarães foi a primeira mulher negra a se tornar doutora em física no Brasil e a ser professora no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em São José dos Campos (SP).

Mesmo após 25 anos trabalhando na instituição de ensino, ela afirma que ainda sofre preconceito por parte de alunos e de colegas.

A faculdade está entre as mais concorridas do país e é reconhecida pelos cursos da área de engenharia. Em nota, a Associação dos Engenheiros do ITA lamentou a situação e expressou repúdio à intolerância.

 “Eles me odeiam, (inclusive) meus colegas do mesmo nível que eu. Depois desse sacrifício de fazer um vestibular tão complicado, eles entram em uma sala de aula e sou eu que vou dar aula, que vou dar nota, que vou corrigir. Sou eu que digo ‘não, você está errado’”, relata. “Você não pode corrigi-los, porque eles são as pessoas mais inteligentes do Brasil”, ironiza.

A professora Sônia Guimarães descreve o desafio de impor respeito diariamente na sala de aula. “Não tá escrito PhD aqui (na testa). A minha autoridade precisa ser dita a cada dia, a cada minuto, a cada correção, a cada nota baixa”, afirma. “Mas eles têm de me engolir, porque sou professora de física experimental. Eles têm de me aceitar. Senão vão repetir de ano. E não pode repetir de ano no ITA, é proibido”, completa.

- no site G1

Share on Google Plus

About leiasempre

Leia Sempre

0 comentários:

Postar um comentário