terça-feira, 26 de junho de 2018

NOVO LIVRO DO PROFESSOR RENO FEITOSA SERÁ LANÇADO NA EUROPA



O professor Reno Feitosa, advogado e professor do curso de Direito da Universidade Regional do Cariri (URCA) chega ao seu quarto livro.

Conhecido na academia no Cariri, no Ceará e no Brasil por sua profunda reflexão filosófica e jurídica, Feitosa já  lançou os livros  Epistemologia Quântica do Direito Penal (2005) , Teoria Geral do Direito (2009), A Culpabilidade Jurídico-penal sob a Perspectiva da Fenomenologia Existencial (2013) e agora chega ao quarto livro com o título Epistemologia Jurídico-penal Pós-moderno.

Todos lançado pela editora Juruá, do Paraná, que agora resolveu após o lançamento deste quarto livro no Brasil, lançar o novo trabalho do professor Reno Feitosa em Barcelona, Espanha, colocando Reno Feitosa no panteão dos grandes juristas brasileiros.

No livro Epistemologia Jurídico-penal Pós-moderno o escritor Reno Feitosa faz uma análise  do historicismo jurídico- penal, pegando como fonte de estudo e análise o historicismo marxista, considerado por Reno como uma meta categoria do pensamento.

Na segunda parte do livro o professor analisa o modo pelo qual  acontece uma sucessão de teorias do direito penal, como as teorias se sucedem, quais são os requisitos e problemas, o modo como elas se sucedem.

Finalmente, o professor Reno Feitosa, tendo como base o apontamento de colaboradores e alunos faz uma atualização de seu primeiro livro “Epistemologia Quântica do Direito Penal”, de 2005. A teoria desenvolvida nesse primeiro livro foi inclusive matéria para provas de concurso do Ministério Público de Goiás e Minas Gerais.

Em seu quarto livro o professor Reno Feitosa quer refletir sobre o direito penal, as teorias que surgem e sobre o papel do legislador brasileiro e das teorias no contexto nacional.

Sobre o direito penal no Brasil o professor Reno acredita que o atual contexto é caótico, sendo feito em determinados casos de forma seletiva e com forte apelo midiático.

Para Reno a ideia de vontade geral do povo no direito penal, tese que vem tomando corpo no Brasil, é muito perigosa. “Essa ideia foi criada por um professor alemão que definia que crime significava um ato que atentava contra  moral do povo alemão. Esse professor defendia a ideia de quem vai defender a vontade geral do povo alemão? Na Alemanha nazista quem fazia isso era Hitler, pois, essa ideia de que o crime é algo que  deve ser julgado segundo a vontade geral do povo foi desenvolvida no âmbito do direito penal  nazista e tinha por objetivo legitimar a atuação de Hitler”, afirma.

Segundo Reno,  temos que ter claro que vivemos em uma sociedade republicana e sempre que falamos em vontade do povo devemos ter claro que isso significa em ter votos.  E juízes e ministros do STF não tem voto, não foram votados. Para o professor a mídia brasileira em muitos casos tem contribuído com essa visão, o que é preocupante.

Para o professor Reno Feitosa entrar no mercado europeu será algo gratificante. “Imagine um sertanejo do Ceará ter a ousadia de escrever e falar sobre temas filosóficos e jurídicos agora para um público extremamente qualificado”, analisa.

O lançamento do novo livro de Reno na Europa se dará no ano de 2019, mas antes a editora Juruá lança o livro no Brasil.  

SERVIÇO

Quem quiser falar com o escritor e professor Reno Feitosa é só enviar e-mail no: renofeitosa@ig.com.br

- Por Tarso Araújo, editor do site Leria Sempre 



Nenhum comentário:

Postar um comentário