LightBlog

ZONA AZUL E EDUCAÇÃO PÚBLICA SÃO DEBATIDAS NA SESSÃO DA SEGUNDA-FEIRA (25) DA CÂMARA DO CRATO


Os vereadores cratenses estiveram reunidos na segunda-feira, 25, em sessão ordinária. Mais uma vez o novo sistema do estacionamento rotativo zona azul, implantado na última semana, foi tema de debate na casa.

O vereador Pedro Alagoano (PSD) deu início as discussões afirmando que a novo sistema tem que ser revisto o quanto antes, sendo inaceitável o fato de ser cobrado R$ 2,00 por hora, ele também criticou o fato de haver multa e reboque para aqueles que ultrapassarem as duas horas pré-estabelecidas.
Jales Veloso (PSB) concordou com o colega e voltou a afirmar que o "novo" zona azul é uma forma de se arrecadar mais dinheiro e cobrou atitudes por parte da Câmara.

Lunga (PSD) também criticou o estacionamento rotativo e disse que o valor de R$ 1,00 por hora era suficiente. O vereador ainda pediu que o prefeito José Ailton (PP)  revisse o novo sistema, já que além dos preços altos, também foi gerada a extinção de empregos.

O presidente da Câmara, Florisval Coriolano (PRTB), também lamentou a extinção de empregos e garantiu que durante o recesso parlamentar seria criada uma comissão para fazer um estudo sobre o estacionamento rotativo.
Amadeu de Freitas (PT) defendeu o novo sistema, mas sugeriu que a empresa responsável pela zona azul fizesse todos os meses uma prestação de contas para a avaliação dos vereadores. 

or fim, o líder do prefeito, Dr. Renan Almeida (PATRIOTA), esclareceu que o sistema visa dar rotatividade ao trânsito e é um sistema moderno e cômodo, fazendo com que a lei seja cumprida, portanto, não é permitido ultrapassar duas horas. O parlamentar explicou ainda que além de poder adquirir o bilhete através do aplicativo para android no celular, os condutores também podem comprar nos estabelecimentos comerciais ou com os vendedores credenciados que circulam pelo Centro da cidade com um maquineta. Já sobre a extinção de empregos, o vereador reconheceu que devido a modernização do sistema, ocorreu uma diminuição do número de trabalhadores no Zona Azul.

 A educação pública também foi abordada na sessão. O professor Gilson (AVANTE) disse ter se surpreendido com os resultados do Colégio Militar na cidade de Juazeiro e citou que muitos pais retiram os filhos de colégios particulares para matriculá-los naquela instituição.

Amadeu de Freitas declarou que a metodologia utilizada pelo colégio militar não irá resolver os problemas na educação e defendeu que o aluno precisa aprender a ter responsabilidade, mas em um ambiente de liberdade.

Já Bebeto Anastácio (PODEMOS) reivindicou que fosse instalado um Colégio Militar no Crato, e disse que algumas pessoas estão implantando a libertinagem nas escolas, e é necessária uma hierarquia entre professor e aluno para que estes possam respeitar a superioridade daqueles.

Os vereadores ainda aprovaram dois projetos de autoria do prefeito municipal. O primeiro dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da Lei orçamentária para o exercício de 2019 e o segundo constitui o Serviço de Inspeção Municipal - SIM para os procedimentos de inspeção sanitária em estabelecimentos que produzam produtos de origem animal e vegetal. Ao final das votações e discussões a sessão foi encerrada.

- da Assessoria de Comunicação da PMC

Share on Google Plus

About leiasempre

Leia Sempre

0 comentários:

Postar um comentário