DATAPODER360: POTENCIAL DE VOTO DE HADDAD “APOIADO POR LULA” É DE ATÉ 34%


Pesquisa DataPoder360 de agosto revela que 34% dos eleitores consideram a hipótese de votar em Fernando Haddad (PT) para presidente da República quando o ex-prefeito de São Paulo é apresentado como “apoiado por Lula”.
DataPoder360 perguntou se o eleitor “votaria com certeza”, “poderia votar” ou “não votaria de jeito nenhum” em cada 1 dos candidatos. No caso de Haddad, a soma do “voto com certeza” e “poderia votar” é que resulta em 34%.
A taxa de “voto com certeza” em Haddad é de 8% e esse é o voto mais consolidado do petista. Nessa categoria de voto ele está empatado na margem de erro com todos os demais principais candidatos a presidente neste momento, véspera do início da propaganda eleitoral na TV e no rádio. O PT e o PSDB terão os maiores tempos disponíveis para fazer esses comerciais por 35 dias.
O levantamento do DataPoder360divisão de pesquisas do portal Poder360, realizou 5.500 entrevistas por meio de telefones fixos e celulares de 24 a 27 de agosto. Foram atingidas 329 cidades em todas as 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Dado o número de entrevistas e a metodologia aplicada, a estratificação por regiões do país tem grande precisão. O registro do estudo no TSE é BR-04538/2018.
Nesta rodada, o DataPoder360 preferiu privilegiar uma análise detalhada sobre o potencial de voto de cada candidato mais relevante na disputa.
Fernando Haddad “apoiado por Lula”, Jair Bolsonaro (PSL), Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede), Geraldo Alckmin (PSDB) e Alvaro Dias (Podemos) variam de 5% a 9% –ou seja, praticamente todos empatados dentro da margem de erro de 2 pontos para mais ou para menos quando se trata de ter eleitores dizendo que “votam com certeza” nesses nomes.
A única diferença é quando é testado o próprio Luiz Inácio Lula da Silva ou alguém indeterminado e sem nome (“candidato apoiado por Lula”). Nesses casos, a taxa de “voto com certeza” vai de 25% a 30%.
Ocorre que Lula enfrenta neste momento uma batalha jurídica para ser candidato a presidente. Ele está preso em Curitiba desde abril. Foi condenado pela Lava Jato a 12 anos e 1 mês de prisão. O PT registrou a candidatura de Lula, mas todas as indicações dentro do Tribunal Superior Eleitoral são de que o nome do petista será barrado até 17 de setembro –o 1º turno da eleição é em 7 de outubro.
Nesse contexto, com o registro negado a Lula, o nome em preparação pelo PT é o de Fernando Haddad. O DataPoder360 testou nesta rodada como o ex-prefeito paulistano está em várias regiões do país.
O melhor desempenho de Haddad foi no Nordeste. Quando apresentado como “apoiado por Lula”, tem 12% de “voto com certeza”. É nessa região que o PT tem registrado seus melhores resultados em disputas recentes.

REJEIÇÃO

Os percentuais são todos altíssimos, na casa dos 60% ou acima. As duas exceções são para pessoas menos conhecidas por parte do eleitorado –Fernando Haddad e Alvaro Dias são repelidos por 52% dos eleitores.
Todas essas taxas de rejeição são mais altas no DataPoder360 do que em pesquisas de outras empresas (Ibope e Datafolha) porque as metodologias são diferentes.
Ibope e Datafolha mostram uma lista de nomes e o entrevistado aponta quantos nomes quiser para dizer quem não escolheria em nenhuma hipótese. Esse formato de coleta de dados tende a diluir a rejeição e as taxas ficam muitas vezes na faixa dos 30% a 40%, um pouco mais ou a menos.
No DataPoder360 as perguntas são feitas de maneira individual a respeito de cada candidato. Dessa forma, acaba emergindo uma rejeição maior para cada 1 dos nomes.
Esse indicador alto –acima de 50% para todos– é 1 sinal de que esta eleição praticamente tem chance zero de terminar no 1º turno. Isso explica também a estratégia de alguns candidatos de se agarrarem aos seus eleitorados mais cativos, porque a missão de todos agora é tentar passar para a segunda rodada de votação.
No Brasil, só vence no 1º turno quem tiver, pelo menos, 50% mais 1 dos votos válidos –os votos dados apenas nos candidatos.
Jair Bolsonaro é 1 desses candidatos que adota 1 discurso concentrado nos valores que propaga há meses nesta campanha. Entende que com seus 21% consegue ir ao 2º turno. Na próxima fase, se conseguir passar, a estratégia certamente terá de ser alterada para que o candidato dialogue com uma parcela mais ampla de eleitores.
O capitão do Exército na reserva é entre os candidatos competitivos o que tem o eleitorado mais restrito. Seu potencial de voto é de 25% –são 8% de “votaria com certeza” e 17% de “poderia votar”.
Todos os demais postulantes falam para 1 eleitorado mais amplo.
Leia toda a matéria e veja gráficos no link: https://www.poder360.com.br/datapoder360/datapoder360-potencial-de-voto-de-haddad-apoiado-por-lula-e-de-ate-34/
- publicado no site Poder 360.
Share on Google Plus

About leiasempre

Leia Sempre

0 comentários:

Postar um comentário