PDT E PSD SINALIZAM ALIANÇA PARA A SUCESSÃO MUNICIPAL EM FORTALEZA

O encontro estadual do PSD, realizado, na sexta-feira (7), na Assembleia Legislativa do Ceará, com a presença do presidente nacional da legenda, Gilberto Kassab, teve ares eleitorais para 2020. Lideranças do PDT, como o senador Cid Gomes e o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, e de outros partidos prestigiaram o evento, sinalizando possível aliança com o grupo governista para a sucessão municipal.
O encontro serviu para filiação de, pelo menos, cinco prefeitos e lideranças políticas no interior, de olho nas eleições municipais do próximo ano. Entre eles, o prefeito de Caucaia, Naumi Amorim, que estava no PMB. Ele se junta à esposa, a deputada estadual Erika Amorim, nas fileiras do PSD.
Estiveram presentes no encontro, além de lideranças do PDT no Ceará, o presidente estadual do DEM, Chiquinho Feitosa, e aliados do PT. O governador Camilo Santana enviou o pai, Eudoro Santana, para lhe representar.
Durante discurso, o senador Cid Gomes ressaltou o "desejo" de manter a aliança com o PSD no Ceará, comandado pelo deputado federal Domingos Neto. "A gente constrói alianças a partir de solidariedade, de gestos feitos em conjunto. O PDT deseja estabelecer relação muito próxima nessas eleições municipais".
Já o prefeito Roberto Cláudio evitou falar da sucessão em 2020, mas fez questão de ressaltar a "amizade" com o grupo político de Domingos Neto. Também estavam presentes o pai do parlamentar, o conselheiro em disponibilidade do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Domingos Filho, e a mãe, a deputada estadual Patrícia Aguiar.
"Honestamente, não tenho falado nada de sucessão com os aliados, isso é uma conversa para o próximo ano. Eu vim aqui porque são amigos pessoais e fazem parte do nosso Governo, são aliados", disse o pedetista.
Cenário
Domingos Neto, por sua vez, ressaltou a aliança que o partido mantém com o grupo governista do PDT. "Evidente que nós vamos discutir até o fim sobre essa questão, tentando ponderar com o partido nossa decisão, (mas) tem mais de um ano pra isso. Reforma da Previdência, Orçamento da União, isso é prioridade no momento", tergiversou.
Segundo o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, há uma resolução do partido para lançamento de candidatura própria nas capitais e em municípios com, no mínimo, 100 mil eleitores, mas existem "ressalvas". "Conforme a demanda das direções locais, as exceções poderão ser analisadas pela direção nacional. A regra é termos candidatura própria, mas sempre haverá um bom entendimento".
Ex-ministro dos governos Temer e Dilma, Kassab falou em discurso sobre novas regras que deverão ser impostas aos partidos nas próximas eleições municipais, entre elas a proibição das coligações proporcionais. Para ele, esse tipo de mudança vai dar um novo fôlego para as siglas.
"Acho que vai trazer a oportunidade de os partidos ganharem identidade, vai fazer com que a gente tenha propostas muito claras para que o eleitor possa identificar o que são as diferenças entre os partidos. Cada partido vai se diferenciar ao fim desse processo e, felizmente, vamos ter menos partidos no País", avaliou.

(no DN)
Share on Google Plus

About leiasempre

Leia Sempre

0 comentários:

Postar um comentário