A ridícula censura do Itamaraty a um filme sobre Chico Buarque

Na Carta Capital.

A embaixada brasileira em Montevidéu, no Uruguai, censurou a exibição de um filme sobre a vida e obra do cantor Chico Buarque naquele país. A obra seria exibida no “Brazil Film Festival 2019”, que acontece em outubro e, entre outros, é patrocinado pela Embaixada do Brasil no país.
As informações foram divulgadas pelo colunista do jornal O Globo, Ancelmo Gois. A JMB Producciones do Uruguai comunicou ao diretor Miguel Faria Junior sobre a decisão da Embaixada de censurar o filme. Em uma carta, a produtora do filme contou que recebeu uma mensagem do expositor dizendo que foram chamados na embaixada para pedir que tirassem da programação a obra sobre o artista.
Nosso comentário
Chico Buarque ele incomoda  o Bolsonaro, porque representa tudo aquilo que o atual presidente nega. Um Brasil plural, não racista, alegre e que tem fé e confiança no futuro.
Um artista que não tem complexo de vira-lata e como poucos sabe resumir a alma brasileira em suas canções e livros. 
Chico Buarque recentemente ganhou o prêmios Camões de Literatura e falta ao Bolsonaro assinar o cheque para pagar o prêmio, bem como, assinar o diploma ao ilustre brasileiro vencedor do mais importante prêmio da literatura de língua portuguesa.
Bolsonaro é um medíocre.
A ridícula censura do Itamaraty a um filme sobre Chico Buarque A ridícula censura do Itamaraty a um filme sobre Chico Buarque Reviewed by leiasempre on 04:52:00 Rating: 5

Nenhum comentário