Renato Rovai: Lula é um gigante

Na Revista Fórum (via Newsletter)

A confirmação da entrevista com Lula se deu na sexta-feira 13. Uma coincidência que me acompanha. Dou muita sorte nessas datas. Seria no dia 18, quarta-feira, me disse o assessor de imprensa do presidente, José Crispiniano.

Fórum teria 1 hora e o Opera Mundi a outra. As entrevistas de Lula têm duas horas regulamentares. Que são cronometradas. Ele entra às 9h30 na sala separada para a gravação e às 11h30 o chefe da custódia da Polícia Federal em Curitiba, Jorge Chastallo Filho, avisa que o tempo acabou.

Quem for assistir a entrevista na integra no Youtube, verá que no final há uma sombra ao fundo de Lula. A sombra é Chastallo, que se aproximou porque Lula ultrapassou o tempo que lhe é concedido por determinação judicial para falar. Lula falaria muito mais, muito mais.

Chastallo foi o policial que deu a Lula a notícia da morte do seu neto Arthur. É também quem controla as escalas dos policiais que cuidam diretamente da segurança do presidente. São 8, me disse. Que se revezam em turnos de 2. Ficam três meses trabalhando com Lula e depois são substituídos por outros.

Advogados e amigos do presidente garantem que os três meses são suficientes para que todos mudem de impressão em relação ao custodiado. Um amigo policial federal de Minas Gerais confirma a informação. Ele é amigo de um dos que foram trabalhar nesta missão. Foi odiando Lula, voltou lulista. Chastallo tem 46 anos e 20 de PF. É um cara simpático.

Na preparação da sala, preocupava-se com detalhes que poderiam incomodar o presidente ou machucá-lo. Solicitou cuidado com os fios e pra que nada fosse colocado perto da cadeira que pudesse atingi-lo de alguma maneira.

Por que falo de Chastallo, para dizer que o presidente não parece estar sendo maltratado na prisão. Tem sido respeitado. O problema é outro. Ele não poderia estar lá. É agressiva a injustiça que cometem com Lula. É de dar raiva. Mas ao mesmo tempo é energizante saber que ainda há líderes com o tamanho dele no Brasil. Sim, o tamanho de Lula será medido na história também por este seu ato de coragem. De se deixar prender, mesmo sabendo o quanto sofreria, para não deixar que seu país fosse completamente conquistado por seus algozes.

Nesta entrevista que segue, Lula fala de maneira clara pela primeira vez disso. E confirma também que não esperava ficar tanto tempo preso. Lula manda vários recados. Como para Ciro Gomes e Rui Costa. E chama pela primeira vez Moro e Dallagnol de chefes de quadrilha. Dá um leve pito no PT e nos movimentos sociais que, para ele, deveriam estar ocupando as ruas em defesa da soberania do país e dos direitos do povo. Lula sendo Lula.

Quando terminou a entrevista, nos despedimos com um abraço, ele de novo falou do Lucão (no começo da entrevista também) e saiu caminhando em direção ao corredor que o levaria para a tal sala especial, que nada mais é do que um quarto de 15 metros que tem uma cama, uma mesa, tv e uma esteira, onde o presidente caminha 9km por dia.

Lula teria entrado na prisão com 89 quilos e estaria com 82. Quer chegar a 80. Nada de regime especial, ele almoça a comida de todos os presos, me confirmou Chastallo. E a noite costuma comer uma fruta ou algo mais leve.

Na prisão, entre outras coisas, como confirmou nesta entrevista, Lula faz o tempo passar lendo. Lendo muito. E assistindo programas da blogosfera, como o Fórum Onze e Meia.

O gigante Lula não está adormecido. Está acordadíssimo. Preparando-se para a volta. Pode ser daqui a pouco ou daqui a muito. Mas engana-se quem pensa que ele está deprimido ou politicamente morto. Tá vivíssimo. E melhor do que quando entrou, como disse Chico Buarque, que o visitou no dia seguinte desta entrevista. Boa leitura.

Lula – Rovai, você pergunte o que quiser, não tem pergunta proibida, eu só, possivelmente, não vou saber responder todas. O que eu souber, respondo. E o que não souber, não respondo, vamos consultar os universitários....rs. O Lucão fez químio ontem?

Renato Rovai – Está fazendo esses dias todos, fez segunda e vai fazer até quinta...

Lula – Se Deus quiser, com 5 anos é só energia. Deus vai ajudar. Nessa hora acredita em Deus. Ajuda bem.

Rovai – Presidente, quero lhe agradecer por ter aceitado essa entrevista. Quando solicitei, falei para o Zé Crispiniano: “Tô solicitando, mas saiba que eu prefiro fazê-la aqui fora”. Não só eu, mas muita gente está torcendo para que o seu caso se resolva o mais rápido possível. Eu coloquei no meu Twitter pessoal que ia estar aqui e recebi 825 mensagens com perguntas. Não vou citar as pessoas, porque muitas perguntas se repetiram, mas também sou portador de uma série de pessoas que gostariam de estar aqui no meu lugar, incluindo os blogueiros que o senhor citou antes da entrevista começar e que participaram do encontro de blogueiros que o senhor esteve presente.

Segundo o artigo 288 do Código Penal Brasileiro, organização criminosa, formação de quadrilha, é associação de mais de três pessoas para o fim de cometer crimes. Com os vazamentos do The Intercept, se confirma que houve essa associação entre agentes do Estado com o fim claro, entre outras coisas, de condená-lo. O senhor se considera vítima dessa quadrilha? O senhor considera que o Moro e o Dallagnol são chefes de quadrilha?

Lula – Considero.

Rovai – E o senhor pretende lutar contra isso no momento em que sair daqui?

Lula – Olha, para isso estou aqui. Eu vou reiterar para você uma coisa. Eu poderia não estar aqui. Poderia estar em outro lugar do mundo. Resolvi vir pra cá porque preciso provar que o Moro é mentiroso, teve um comportamento canalha enquanto juiz. Que o Dallagnol é chefe de uma quadrilha, de um grupo de procuradores, e não estou falando agora porque o The Intercept está dizendo. É só você pegar a minha defesa que vai perceber que a gente já estava falando tudo isso. Você vai lembrar que no primeiro depoimento que dei para o Moro, disse a ele, olhando para a cara dele, porque ele não permite que a cara dele apareça, só a cara da gente que aparece, a dele tá escondidinha, porque ele não tem coragem de olhar no olho.... eu disse para ele: “Olha, você está condenado a me condenar, porque a mentira contada foi tão longe que não tem como voltar atrás”. Eles construíram, junto com os meios de comunicação, e não é só a Globo, eu falo da Globo porque a Globo é maior, construíram junto com os meios de comunicação a ideia de que qualquer bobagem que o Dallagnol ou o Moro falavam virava vinte minutos de Jornal Nacional, condenando as pessoas a priori. Ou seja, eles não queriam saber se tinha argumento contrário, era condenação pura. E por que eu digo isso? Porque tem quatro pessoas no mundo que sabem do que estou falando. Eu, porque sou a vítima e sei que sou inocente. O Moro, porque foi o algoz e sabe que sou inocente. O Dallagnol, porque sabe que sou inocente e que ele mentiu. E Deus, que sabe que sou inocente.

Esta é apenas mais uma prévia da longa conversa que tivemos. Neste domingo, você poderá ler a entrevista na íntegra e entender, se é que ainda não entendeu, porque Lula é um gigante.

Até breve!

Por Renato Rovai
Revista Fórum
Renato Rovai: Lula é um gigante Renato Rovai: Lula é um gigante Reviewed by leiasempre on 02:55:00 Rating: 5

Nenhum comentário