A propaganda eleitoral nas redes sociais, por Leopoldo Martins


Ferramenta poderosa, a propaganda já foi capaz de alterar os rumos da história e contribuir para a ascensão de diversos regimes totalitários. Exemplo maior encontrou na Alemanha nazista, com a chegada de Hitler ao poder deve-se em grande parte aos trabalhos do ministro da comunicação Joseph Goebbels.

Neste viés que a propaganda surgiu como grande aliada da política, pois o voto raramente resulta de um cálculo racional.

Plataformas ganharam destaque nos orçamentos de campanha eleitoral.

A propaganda eleitoral tornou-se a maior ferramenta que os candidatos e os partidos políticos possuem para a captação de votos, onde o eleitor é colocado como consumidor e os candidatos como produtos.

Este ano a internet, sem sombra de dúvidas, desempenhará papel fundamental na corrida eleitoral.

A internet, enquanto nova tecnologia comunicacional rompeu com a verticalidade existente entre o público e os meios de comunicação tradicionais, promovendo a descentralização da geração de conteúdos.

Na internet e nas redes sociais as comunicações se dão de forma horizontal: os conteúdos são gerados pelos próprios indivíduos ou usuários do sistema que, ao construírem fatos e notícias, se tornam editorialistas de suas próprias crenças e visões de mundo.

Nas redes sociais, os conteúdos são gerados livremente, sem filtros. As plataformas ainda possibilitam que os próprios usuários direcionem seus conteúdos para um nicho de pessoas, fazendo-os chegar, inclusive, a quem não segue sua página ou perfil pessoal. A ferramenta mais popular chama-se impulsionamento, utilizada massivamente no Facebook e no Instagram.

Grande vantagem das redes sociais é a maior efetividade na imposição/visualização dos conteúdos gerados. Pois: I – não existe um horário específico para publicação de conteúdos políticos; II – as ferramentas de bloqueio de conteúdo não são instrumentos de fácil acesso; III – o conteúdo compartilhado por amigos será visto ainda que você não seja seguidor da página e IV – dependendo a espécie de impulsionamento, é possível que você navegue normalmente pela rede social enquanto há propaganda fixa na lateral do layout.
Por esses e outros motivos, as redes sociais ganharam um espaço especial nos orçamentos de campanha dos partidos políticos.

por Francisco Leopoldo Martins Filho
Advogado

A propaganda eleitoral nas redes sociais, por Leopoldo Martins A propaganda eleitoral nas redes sociais, por Leopoldo Martins Reviewed by leiasempre on 15:31:00 Rating: 5

Nenhum comentário