Câmara de Granjeiro analisa denúncia contra prefeito em fevereiro

Ainda em recesso parlamentar, os vereadores de Granjeiro devem voltar aos trabalhos, em fevereiro, com uma pauta desde já colocada: a análise de uma denúncia contra o atual prefeito do Município, Ticiano Tomé, que cobra a cassação do mandato do gestor. Eleito vice-prefeito em 2016, ele assumiu o cargo em dezembro passado após o assassinato do então prefeito, João Gregório Neto, conhecido como João do Povo, aos 54 anos. Desde a morte de Gregório, com quem Ticiano Tomé já estava rompido, o Município vive clima de instabilidade política.
A denúncia foi apresentada à Câmara Municipal de Granjeiro por Sérgio Cassiano de Sousa, morador da zona rural do Município, em meio às investigações sobre o assassinato do ex-gestor. Uma das linhas das investigações da Polícia Civil aponta motivação política para o assassinato. O atual prefeito e o pai dele, Vicente Félix de Sousa, conhecido como Vicente Tomé, são suspeitos de envolvimento no crime. Ambos negam.
"A gente recebeu a denúncia na quinta (23), protocolada por um cidadão. Na segunda (27), fui notificar o prefeito, mas ele achou por bem não receber. Com isso, a lei determina que a notificação do recebimento da denúncia seja publicada por duas vezes no Diário Oficial para que o prefeito tome conhecimento do fato", explica o presidente da Câmara, vereador Luiz Márcio Pereira, o "Marcim". Após a comunicação formal, o prefeito terá um prazo para se defender.
Mesmo com as intempéries políticas, o Legislativo não deve ter pressa para julgar o caso. A Câmara Municipal só retorna do recesso parlamentar no próximo dia 17 de fevereiro. De acordo com o presidente da Casa, logo na primeira sessão ordinária do ano, a denúncia e a defesa de Ticiano Tomé, se houver, devem ser apresentadas e votadas pelo plenário, composto por nove vereadores. Para ser aceita, a denúncia precisa da anuência de cinco parlamentares.
"Se o plenário decidir aceitar a denúncia, será formada uma comissão processante, escolhida por meio de sorteio", diz Marcim. Só depois disso, começa o processo formal de análise da denúncia. A reportagem procurou o prefeito Ticiano Tomé para comentar a situação, mas não conseguiu contato com o gestor por telefone até o fechamento desta edição.
Investigações
Ontem, a Polícia Civil anunciou que o foragido da Justiça preso no Maranhão suspeito de envolvimento na morte de João Gregório Neto estava com o carro usado no crime dias antes do assassinato do ex-prefeito. Foi o suspeito que retirou o equipamento de GPS do veículo antes de o carro ser levado para Granjeiro, segundo as autoridades. Carlos César Gonçalo de Freitas, 45 anos, é natural de Caririaçu, cidade vizinha a Granjeiro. A Polícia está investigando se existe algum grau de parentesco ou proximidade de Carlos de Freitas com o atual prefeito de Granjeiro, Ticiano Tomé, e o pai dele, Vicente Félix de Souza, apontados como suspeitos de envolvimento no caso. A Polícia acredita que desavenças políticas tenham motivado o crime.
Com a prisão do suspeito na cidade de Barreirinhas, a investigação desvendou um esquema de transporte de armamento e drogas, do Maranhão para a Região do Cariri, feito por meio de carros alugados que não eram devolvidos às empresas. O suspeito alegou à Polícia que, na época do crime, já havia repassado o carro para terceiros.
João Gregório Neto foi assassinado no dia 24 de dezembro de 2019 enquanto caminhava na beira do açude da cidade. Durante as investigações, a Polícia Civil prendeu dois homens e chegou a apontar o atual gestor e o pai dele, Vicente Félix de Souza, por suspeita de envolvimento no crime.
O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) chegou a pedir a prisão de Vicente, mas a Justiça negou. Hoje, ele segue monitorado por meio de tornozeleira eletrônica.
O promotor de Justiça Rafael Couto Vieira diz acreditar na elucidação do crime. "Granjeiro é uma cidade muito pacata, onde não se tinha notícias desse tipo de violência. O crime chocou e traumatizou a população que cobra um desfecho. Apesar de a investigação ser bastante complexa, acredito que em um médio prazo, tenhamos a solução para esse caso", afirma.

(no Diário do Nordeste)


Câmara de Granjeiro analisa denúncia contra prefeito em fevereiro Câmara de Granjeiro analisa denúncia contra prefeito em fevereiro Reviewed by leiasempre on 05:38:00 Rating: 5

Nenhum comentário